O Shakhtar Donetsk visita a Pedreira com a vida resolvida. Só com vitórias nesta campanha, o primeiro lugar é dos ucranianos. A segunda vaga será decidida entre o SC Braga e o Gent, bastando à formação de José Peseiro fazer igual ao que o concorrente direto conseguir frente ao Konyaspor. Os Arsenalistas têm apenas dezanove jogadores disponíveis para o encontro decisivo, entre lesões e não-inscritos, o que abrigará o treinador do Braga a fazer alterações no eixo da defesa e na zona interior do meio-campo. Para garantir a passagem à fase seguinte da Liga Europa o SC Braga não pode fazer pior do que o Gent, no outro desafio do grupo H. Será entre os dois clubes, separados por um ponto, que se decidirá o segundo lugar já que o de topo foi tomado há muito pelo conjunto de Paulo Fonseca e o Konyspor também já perdeu a carruagem. Basta, portanto, igualar o resultado dos belgas. Não parece particularmente difícil, em abstrato. Mas há que reconhecer que os Arsenalistas têm um desafio teoricamente mais exigente. Enfrentam a equipa mais forte do agrupamento e embora o Shakhtar já não tenha nada a ganhar também não deve propriamente vir a passeio. Por outro lado, o Gent vai à Turquia medir forças com o Konyaspor que, não tendo nada a ganhar, vai dar-se de brios diante do seu público. Para este encontro decisivo na Pedreira, José Peseiro só tem dezanove jogadores do plantel disponíveis. Os Guerreiros do Minho têm sofrido muitas lesões esta temporada e à data de hoje continuam com Velásquez, Ricardo Ferreira, Mauro e Pedro Santos entregues ao departamento médico. A estes juntam-se Xeka e Douglas Coutinho, estes por não estarem inscritos nas competições europeias. O treinador arsenalista reconheceu que poupou Lazar Rosic no jogo do Dragão (1-0) e que está a gerir ”com pinças” a condição física dos defesas disponíveis. André Pinto também regressou há pouco de lesão e a equipa técnica duvidava que o sérvio conseguisse aguentar a carga competitiva. Nesta campanha na Liga Europa o SC Braga somou três empates – nos dois embates com o Gent (1-1, 2-2) e com o Konyaspor na Turquia – uma derrota – com o Shakhtar na Ucrânia (2-0) – e uma vitória – com os Turcos (3-1) na Pedreira. Onze Provável: Marafona – Baiano, Rosic, André Pinto, Goiano – Wilson Eduardo, Vukcevic, Pedro Tiba, Ricardo Horta – Stojiljkovic, Rui Fonte. O Shakhtar Donetsk coLiga Europanta por vitórias os cinco jogos que já disputou nesta fase de grupos, tendo marcado dezassete golos e sofrido apenas três. Claramente, a equipa orientada pelo ex-treinador do Braga está uns furos acima da concorrência e estaria mais adequada à Liga dos Campeões. O primeiro lugar do Grupo H nunca esteve em causa e agora o clube ucraniano limita-se a cumprir calendário. A comitiva só viajou para Portugal na quarta-feira e o técnico luso decidiu abdicar do habitual treino no relvado da Pedreira. É não só possível como natural que o Shakhtar descanse alguns dos seus elementos mais utilizados embora Fonseca não vá querer dar aquele ar de que está a beneficiar a antiga equipa. O Shakhtar lidera a Liga Ucraniano, com quarenta e sete pontos, com dez de vantagem sobre o segundo classificado, o Dínamo de Kiev. São quinze vitórias e dois empates, sem derrotas, trinta e sete golos a favor e oito contra, testemunho da superioridade que o clube goza nas competições domésticas. Ao longo de toda a temporada a equipa de Paulo Fonseca só perdeu uma vez, no play-off de acesso à Liga dos Campeões, e vai no décimo triunfo consecutivo, em todas as competições. Onze Provável: Pyatov – Srna, Kucher, Rakitiskiy, Ismaily – Marlos, Fred, Stepanenko, Bernard – Taison, Ferreyra. Screenshot_10.png

 

Fontes: https://www.whoscored.com/http://www.soccerstats.com/http://www.soccerway.com/ http://www.asmelhoresapostasonline.com
Advertisements